Translate

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Auditoria nos softwares

A notícia de que o utilitário usado para encriptar, ou colocar uma senha, para limitar ou bloquear o acesso a um sistema de arquivo ou dados, TrueCrypt, passou na auditoria de segurança mostra uma coisa. Notícia revela que os códigos open source são seguros justamente por ser open source (código aberto). Como já havia falado sobre as urnas eletrônicas, é possível a qualquer um ler o que está escrito no programa e não só os donos. Quem souber, vai achar o que está errado se tiver algo errado.


http://thehackernews.com/2015/04/truecrypt-security-audit-services.html
http://www.theregister.co.uk/2015/04/02/truecrypt_security_audit/ (Inglaterra)

Isso também mostra que talvez a paranoia por segurança talvez não devesse ser tão grande quanto deveria. Pelo que eu li nas notícias, as pessoas ficaram realmente preocupadas, provocando um grande temor em relação ao problema. Não sabia muito do caso e resolvi pesquisar um pouco. Enfim, me deparei com uma curiosidade, um sítio antigo que dizia para mudar para o Bitlocker da Microsoft. A página mostra em um tutorial cuidadosamente preparado para o entendimento do processo de uso da ferramenta.

http://truecrypt.sourceforge.net/

Não levei mais que 1 minuto em uma pesquisa mais atenta e descobri o novo sítio da continuação do projeto.

https://truecrypt.ch/
https://truecrypt.ch/about-us/ (Domínio na Suíça)

Isso é só para mostrar que a coisa deve ter sido bem feia até o resultado. A auditoria acabou dando um desfecho para o caso todo, mas fica uma pergunta. E os demais softwares dos EUA?

No carnaval a Vivo faz a primeira palhaçada.

Todo mundo sabe como são as operadoras de telefonia, elas acham que tem o direito de ser a única empresa a dizer que o cliente não tem razão. Em plena semana de carnaval a operadora Vivo decidiu acabar com a redução de velocidade da internet para pacotes de 40MB. O suporte da operadora havia me colocado nesse pacote sem a minha permissão depois que o pacote normal "deu problema". Esse pacote mantinha a minha internet reduzida por 7 dias, agora, minha internet fica bloqueada por 7 dias, mesmo que eu tenha crédito para usar.

É exatamente isso que os leitores estão pensando, a operadora está me obrigando a contratar uma dessas internet 3G pós. Imagine ainda que elas tem orgulho de fazer o que fazem. Talvez essas empresas tenham problemas para manter uma conexão 3G pré pago, mas se não sabem como fazer, não ofereçam o serviço.

É até uma tremenda cara de pau que as empresas de telecomunicação, e alguns políticos como Eduardo Cunha do PMDB, achem que tem o direito de exigir a não aprovação do Marco Civil da Internet, apenas alegando que precisam de toda liberdade pra fazer o que quiserem. No final a lei foi aprovada, com a minha torcida, e as operadoras agora tem limites. Não vão podem vender as informações de seus clientes e nem decidir o preço. E quem tiver algum problema, o governo federal lançou o portal consumidor.gov.br, que você pode colocar a reclamação direto no PROCON pela internet.

É carnaval, e por mais que alguns queiram proteger o que chamam de liberdade econômica condenando qualquer político alegando que "político não presta", foi justamente do poder econômico, da elite, que veio a primeira palhaçada.

A Oi foi condenada, por espionagem para evitar concorrência, a pagar R$26,6 milhões.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

A imagem do Ubuntu corre perigo

Uma das maiores frustrações minhas em usar o Ubuntu, foi o "friends-app". O aplicativo é usado para acessar redes sociais, pra quem gosta de dispensar o navegador para isso. Depois de usar seu antecessor e notar sua lentidão em receber novos dados, acabei percebendo que esse possui os mesmos problemas.

Lentidão, falhas constantes ao receber dados e em enviar mensagens e o pior, sem mostrar mensagem de falha. O friends-app acabou se tornando um grande problema. Para lidar com ele, eu decidir abrir usando o console, apenas digitando o comando. O console consegue mostrar as mensagem necessárias, se o envio foi bem sucedido ou não e outros.


É muito grave o que está acontecendo no Ubuntu, o fato do Windows 10 ser o mesmo no dispositivo móvel e nas estações de trabalho é reveladora. O Ubuntu exibiu essa funcionalidade várias vezes e ainda não colocou em prática. Lembrando que o carro chefe de um sistema operacional é as ferramentas de programação usadas e o "friends-app" utiliza essas ferramentas (QML e QT), esses problemas podem sujar a imagem do Ubuntu SDK. A Microsoft vem demonstrando com suas páginas .aspx (asp.NET), grande qualidade em desenvolvimento.

Resta a empresa vontade de se aperfeiçoar, perceber que há funcionários que não estão muito interessados no crescimento de uma empresa na África. Não posso dizer que as falhas do friends-app são bobagens, porque são muito ridículas. São falhas quem não apareceriam em softwares de 5 anos atrás. A China adotou o Ubuntu, mas já declarou que irá desenvolver seu próprio sistema operacional assim como a Rússia. Isso deveria servir como um aviso de que se não acertar, ficará para trás.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Acessar internet pelo computador usando GPRS.

Em um momento de dificuldades de conexão, eu acabei descobrindo algo que muitos talvez ainda não saibam. Você pode acessar a internet 2G, o GPRS com tecnologia EDGE, pelo seu computador via USB. Da mesma forma que você faz com a tecnologia 3G e 4G (futuramente a 5G, que também será uma tecnologia chinesa).

Para acessar a internet EDGE, eu tirei o meu chip da OI do meu celular (o P200) e coloquei em um modem 3G da Huawei que eu peguei emprestado por estar sem uso algum. A internet é lenta mas quebra o galho, e claro que não é de graça. Basta obedecer as regras da operadora. A empresa chinesa tem respeito no seu RG, no modem você encontra o instalador do programa para a conexão (um programa da vivo no caso), tanto para Windows quando para GNU/Linux. Eu não sei como é o processo de instalação no sistema da Microsoft, mas no Ubuntu funcionou perfeitamente.

Eu só tive que copiar o instalador do modem (que vira um pendrive também ao ser inserido na usb) para o meu HD, adicionar permissão para execução do arquivo instalador usando o "chmod" e depois executar como um aplicativo comum do GNU/Linux. Tudo vai funcionar perfeitamente, mais você não precisa instalar o aplicativo, o Ubuntu já possui um utilitário que te coloca na internet sem nenhum problema, tanto em uma conexão GPRS/EDGE, como em uma conexão 3G/4G.

Os comandos usados abaixo devem ser acionados na pasta que você copiou o instalador, obviamente.
$ chmod x+u install
$ ./install

Veja o conteúdo da pasta que possui o aplicativo de conexão para o GNU/Linux.

Depois é só correr pro abraço da internet adquirida rapidamente, sem rodeios de contrato ou conversas demoradas para evitar que você use o pré-pago até conseguir um serviço melhor. A internet é lenta, mas vai funcionar onde o sinal de celular, onde você liga para alguém normalmente, funciona. É a mesma limitação que você sempre teve com as operadoras e sua cobertura. O aplicativo que vem no modem, o da Vivo no caso, ajuda a gerenciar a força do sinal e ainda permite receber os SMS que você receberia no celular. Bom pra saber se você recebeu ligação.

Sei que ainda devo um artigo sobre o acesso a internet pelo celular Positivo P200 que eu comprei, mas ainda não consegui. Ao inserir o USB e escolher utiliza-lo como uma porta com, o fantástico Ubuntu entende que o celular é um modem e adiciona a opção de "Habilitar banda larga móvel", mas ao fazer o processo eu não consigo acesso a internet. Quem souber como fazer, comenta aqui explicando que eu publico minha experiência baseado no seu comentário. Artigo sobre como fazer isso no Iphone me faz acreditar que no meu celular, não é possível fazer.

Talvez esse artigo seja muito bom acrescentando algo. Mas acho que o mérito todo foi de quem criou essa tecnologia. De fato, parece ter sido feita para facilitar a nossa vida, algo que o capitalismo seria, aparentemente, incapaz de fazer, já que, em essência, o capitalismo funciona em função do dinheiro e essa política ainda não aprendeu com o famoso ditado "de grão em grão a galinha enche o papo".

Esse artigo tem o objetivo de mostrar que é possível se conectar a internet dessa forma, para aqueles que vivem em lugares onde não há cobertura 3G/4G. A conexão é precária, mais talvez um chip pré-pago possa te salvar um dia.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Será que a microsoft está fazendo tudo certo agora?

Ao navegar na internet, que aliais é a internet mais precária que eu já usei, eu me deparei com algo curioso. Sítios de prestígios andam usando o asp.NET da microsoft para disponibilizar seus serviços. Notei isso quando acessei o sítio novo, recém lançado, da Caixa. Nas propagandas de TV, o banco estatal faz questão de ressaltar o quão avançando é seu novo sítio.

Sítio oficial do asp.NET.

Além do sítio da Caixa, a prefeitura de São Paulo, também tem uma página nessa tecnologia. O sítio que o paulistano usa para se cadastrar e tirar o seu bilhete único é em tecnologia asp.NET. E com o anuncio de passagens mais baratas no bilhete a demanda aumentou 1000%, que eu talvez possa concluir que a tecnologia está dando conta do recado.

Será que a mudança no comando da microsoft está melhorando os produtos da empresa? Já usei o Windows Phone 8 e... nada mal. Ou será que a extensão ".aspx" não tem nada a ver com a empresa? Será que os outros frameworks estão com um concorrente de peso além de um nome e recursos financeiros ilimitados? Vamos ver o que vem por ai.

sábado, 13 de setembro de 2014

Por que o GNU/Linux é o futuro?

O Tribunal Superior Eleitoral é o responsável pelas urnas eletrônicas que usam GNU/Linux desde 2008 (no governo Lula). Pra quem não se lembra, as urnas eletrônicas foram adotadas pela primeira vez em 1996, no governo FHC, mas usavam sistemas proprietários.

O link resume bem porque o GNU/Linux é o futuro.

Trecho: "O uso da plataforma Linux ocorre desde 2008, por opção da Justiça Eleitoral, que considerou o sistema de código aberto mais confiável que aplicações proprietárias que, em tese, possuem códigos protegidos inacessíveis aos técnicos do judiciário."


Como podem ver, não é por causa da possibilidade de fazer outros sistemas operacionais que o Linux é o futuro. Isso é apenas um hobbie dos programadores. O governo brasileiro, desde que o PT assumiu o poder, decidiu usar o sistema operacional, porque os sistemas proprietários não permitiam que déssemos uma olhada para saber se o Windows, por exemplo, é confiável. Entenderam?

Abaixo há outros exemplos em que o governo Dilma Rousseff utiliza o sistema operacional. Deem uma olhada com atenção.
1 - http://webdig.com.br/19615/brasil-bancos-estatais-usam-linux-privados-windows-xp/
2 - http://www4.serpro.gov.br/noticias-antigas/noticias-2005-1/20050429_04


Agora que temos um bom raciocínio, vamos ao assunto. Andei ouvindo algumas críticas contra o Baidu, e descobrir a necessidade de colocar luz nessa empresa. E por que? O Baidu não é um antivírus, e sim uma empresa chinesa, principal concorrente do google, para pesquisas que oferece antivírus, navegador e outras soluções. Por coincidência, a Microsoft está sendo processada pelo governo chinês por práticas de monopólio.

1 - Sitio de busca brasileiro do Baidu (a minha principal escolha). http://br.baidu.com/

2 - Notícia em que o governo chinês investiga a Microsoft por espionagem. http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/china-inicia-investigacao-em-escritorios-da-microsoft

3 - Governo chinês investiga Microsoft por monopólio. http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2014/07/governo-chines-investiga-microsoft-por-suspeita-de-monopolio.html

4 - Governo chinês acusa Microsoft por obstrução da investigação. http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2014/08/china-diz-que-microsoft-nao-deve-obstruir-investigacao-por-monopolio.html

Fazendo uma pequena especulação, a Microsoft não permite que as empresas tenham total acesso ao sistema operacional, o que permite que ela faça todo o tipo de alteração no Windows prejudicando os aplicativos do Baidu, sem que a empresa chinesa tenha conhecimento.

As empresas americanas Google e Microsoft, não são confiáveis. Tenho certeza que todos suspeitam disso, e agora a suspeita deve recair sobre qualquer outro? Eu não concordo com isso. Leiam meu artigo e veja que a Microsoft e a Google tiveram todas as chances de fazer a coisa certa, mas escolheram não fazer.

Eu escolho Baidu e Huawei.

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Firefox e a correção ortográfica confusa.

Muitos problemas me fizeram parar de usar o Firefox. Somados, davam um monte de dor de cabeça. Voltei a usa-lo agora porque o Chrome, parou de atualizar automaticamente, eu preciso ir lá na página frequentemente para ver se uma nova versão do navegador está disponível. Já o Opera/NEXT, não possui suporte ao "MEGA Privacy", meu armazenamento on-line escolhido. 

Meus problemas com o Firefox eram muito incômodos. O Flash player sofre com pequenos congelamentos. Dicionários com idiomas duplicados na lista que aparece ao clicar o botão direito do mouse. Apareciam 2 português brasileiros, 2 inglês canadenses, 2 inglês africano, e assim por diante. E o dicionário tinha que ser configurado todas as vezes que eu abria uma nova aba/janela. O Firefox também tinha sérios problemas para apagar as minhas informações (sim, eu fiz os testes com o sync também), mesmo desinstalando o navegador usando o "aptitude remove/purge", ao reiniciar o sistema e instalar o navegador, lá estava minhas contas todas abertas.

Obs: Escrevi sobre o meu caso no Opera/NEXT para o e-mail oficial de suporte do Mega Privacy e obtive uma resposta extremamente empolgante e otimista em relação ao Firefox. Isso foi o que me inspirou a tentar o Firefox novamente. Leia o que o MEGA Privacy me respondeu aqui.

Um trecho:
"Firefox 20 +:
+ Suporta envios pasta recursivas
+ Muito estável graças ao gerenciamento da memória
+ Motor JavaScript extremamente rápido
+ Excelente renderização de texto, com espaçamento entre caracteres adequada / 
kerning mesmo sob MacOS
⇒ Altamente recomendado"

Ao instalar novamente o Firefox depois de passado muito tempo e muitas atualizações, vi que minhas informações já não estavam mais lá. Porém, o flash player continua com os pequenos congelamentos problema que pode ser resolvido usando o HTML5.

O problema dos dicionários era causado pela atualização do navegador que em novas versões, não aceitava mais os dicionários no formato .deb instalados com o comando "aptitude". Antes eu não sabia disso. Agora os dicionários eram apenas em extensões para o navegador. Ao remover o Firefox, os dicionários não eram removidos, por isso eles sempre voltavam na reinstalação do navegador, e a incompatibilidade provocava as falhas já relatadas.

Tudo o que eu tive que fazer era desinstalar os arquivos .deb permanentemente e depois, instalar as extensões do dicionário pela opção do menu "Complementos". Primeiro eu usei o comando "remove" e depois o "purge", para deletar arquivos de configuração eu acho. O arquivo a ser removido é o "myspell-pt-br", mas no meu caso tive que incluir outros arquivos que eu havia instalado. O comando que eu usei foi.

$ sudo apt-get remove myspell-pt myspell-pt-pt myspell-en-au myspell-en-za myspell-en-gb hunspell-en-ca

$ sudo apt-get purge myspell-pt myspell-pt-pt myspell-en-au myspell-en-za myspell-en-gb hunspell-en-ca

$ sudo apt-get remove myspell-pt-br

$ sudo apt-get purge myspell-pt-br

Como nada é perfeito, o Firefox não adicionou o http://br.baidu.com/ na barra de pesquisa. Como o Baidu é uma ferramenta de pesquisa superior ao Google e o Bing, agora ele é a minha opção número 1. Então decidi remover a barra de pesquisa do Firefox.

Personalização do Firefox usa o recurso de clicar e arrastar.

E é isso. Espero que esse artigo tenha sido útil. Até o momento, as principais falhas do navegador foram sanadas.

Referencias.